quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Preparar o próximo ano lectivo



Um novo ano lectivo está à porta e aos poucos começamos a pensar: como será? Primeiro que tudo não podemos esquecer que o trabalho em equipa é meio caminho andado para o sucesso profissional. Deixo-vos então uma pequena reflexão sobre o tema que em muito pode ajudar.

A Importância do Trabalho em Equipa

A colaboração entre adultos promove a aprendizagem pela acção. Desta forma os adultos que trabalhem em equipa apoiam a aprendizagem activa das crianças. Os membros da equipa partilham um mesmo comprometimento à abordagem educacional e trabalham em conjunto para trocar informação fidedigna sobre as crianças, planear estratégias curriculares e avaliar a eficácia dessas estratégias. Os membros da equipa esforçam-se por aprofundar a compreensão que têm, quer do currículo, quer de cada criança individual, de forma a poderem oferecer um contexto que seja simultaneamente, consistente com os seus objectivos e crenças na área da educação, e consonante na forma como os vários adultos o concretizam.

Um trabalho em equipa eficaz:

· Cria um clima de apoio entre os adultos para que a aceitação e confiança que sentem entre eles alastre às interacções com as crianças

· Vai de encontro às necessidades dos adultos em termos de pertença, partilha, desempenho, reconhecimento e compreensão do currículo, para que se possam concentrar totalmente nos interesses e intenções das crianças quando estão com elas

· Resulta numa abordagem unificada para a concretização do currículo, permitindo a todos os adultos que trabalhem com o mesmo grupo de crianças darem a cada uma um apoio consistente e apropriado.

O trabalho em equipa é um processo interactivo. Ao trabalhar em equipa os adultos utilizam muitos dos princípios curriculares e das mesmas estratégias que usam quando trabalham com crianças. No seu melhor, o trabalho em equipa é um processo de aprendizagem pela acção que implica um clima de apoio e respeito mútuo.

Ao trabalhar em grupo os membros da equipa expressam nas suas próprias palavras as observações das crianças e dos acontecimentos, de maneira a que, colectivamente, possam utilizar aquilo que sabem e construir práticas educativas a partir desse conhecimento. Os membros da equipa dão e recebem apoio, falando à vez e ouvindo as histórias dos outros, o que lhes permite incorporar essas ideias no desenvolvimento de novas estratégias para trabalhar com as crianças.

O trabalho em equipa é assim activo, apoiante e respeitador.

Quando se trabalha verdadeiramente em equipa aparecem logo os efeitos desse trabalho. Ao colaborarem, os elementos da equipa obtém reconhecimento, um sentido de trabalho bem sucedido e um sentimento de pertença a um grupo de indivíduos que pensam de forma semelhante. Acabam por valorizar o facto de terem colegas com objectivos curriculares semelhantes com quem possam conversar e resolver problemas. Descobrem que podem prestar à criança de quem cuidam um serviço educativo com uma abordagem consistente, porque definem juntos os objectivos e planeiam em conjunto quais as estratégias para os concretizar. Quando os adultos partilham o controlo com os outros elementos da equipa verificam muitas vezes que, em consequência, é também mais fácil partilhar o controlo das crianças.

Em conjunto, os elementos da equipa debatem o currículo e os assuntos do trabalho em equipa, e apreciam o processo permanente de gerar novas ideias e estratégias.

Os elementos da equipa reconhecem que são capazes de resolver problemas e tomar decisões que têm um efeito positivo nas suas vidas e nas vidas das crianças de quem cuidam. Também desenvolvem a capacidade de saber esperar e receber os desafios, em vez de se sentirem subjugados por eles.

Diariamente os membros da equipa partilham aquilo que estão a aprender sobre as crianças e sobre estratégias curriculares. Em consequência, a aprendizagem colectiva é um processo contínuo, pois tudo o que é partilhado pode e deve ser melhorado.

Para que o trabalho em equipa seja eficaz é fundamental identificar as pessoas que podem formar equipa, pois é necessária disponibilidade para o planeamento e para as aprendizagens. Todos têm de se esforçar para encontrar tempo para reunir sempre que necessário, se possível diariamente, pois só assim se consegue planear de forma mais eficaz.

Todos os colaboradores da instituição devem fazer parte da equipa, entre eles o Formador, os Educadores, os Professores das actividades extra-curriculares, os Professores de apoio, o Coordenador, os elementos da direcção, entre outros. Só assim se consegue trabalhar para o mesmo objectivo, cada um desempenhando a sua função para atingirem o mesmo fim.

Para que o trabalho de equipa resulte são necessárias seguir algumas estratégias que são quatro elementos centrais de colaboração para guiar os seus esforços conjuntos:

1. Estabelecer relações de apoio entre adultos

a) Comunicação aberta

b) Respeitar as diferenças individuais

c) Ser paciente com o trabalho de equipa

2. Recolher informação fidedigna sobre as crianças

a) Observar as crianças ao longo do dia

b) Realizar anotações breves sobre as observações

c) Evitar juízos de valor

3. Tomar decisões de grupo sobre as crianças: interpretar observações e planificar o que fazer em seguida

a) Reflexão sobre o significado das acções das crianças

b) Experimentar estratégias e reflectir em conjunto sobre como estão a resultar

4. Tomar decisões de grupo sobre o trabalho de equipa

a) Discutir os papéis e as expectativas dos membros da equipa

b) Partilhar a responsabilidade pelo funcionamento da equipa

c) Tomar decisões curriculares enquanto equipa

As acções em equipa constroem pontes entre adultos que fazem a diferença na vida das crianças, unindo-os conforme apoiam o desenvolvimento dos talentos e das capacidades emergentes das crianças. O trabalho em equipa realizado pelos adultos é também, para as crianças, um modelo de interacção com os outros que se apoia em relações cooperantes, resolução de problemas construtiva, e iniciativa pessoal.


Diana Maciel

Fonte: Educar a Criança


Sem comentários:

Enviar um comentário